Iniciativas do CONDEMAT na área de resíduos são destaques em workshop promovido pelo Estado

Prefeito Adriano Leite reafirma compromisso do Alto Tietê em ter um modelo consorciado para destinação de resíduos sólidos

O CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê foi um dos destaques do workshop “Consórcios intermunicipais para gestão e gerenciamento de resíduos sólidos: experiências e alternativas”, promovido pelo Comitê de Integração de Resíduos Sólidos (CIRS) da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) na quinta-feira (29/08). A Região é uma das poucas que já trabalha em parceria com o Estado na elaboração do Plano Regional de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e teve a oportunidade de compartilhar as ações, desafios e metas na busca de uma solução que atenda as 11 cidades.

Com o maior contingente populacional da Região Metropolitana de São Paulo, depois da Capital, o Alto Tietê registra uma produção diária de 3 mil toneladas de resíduos/dia sendo que, atualmente, todas as cidades fazem a destinação final em aterros de outras localidades, o que representa um grande gasto para as prefeituras.

O prefeito de Guararema, Adriano de Toledo Leite e o coordenador da Câmara Técnica de Gestão Ambiental, Daniel Teixeira de Lima, representaram o CONDEMAT. O Alto Tietê busca ser a região piloto do Estado a contar com um novo modelo de destinação de resíduos sólidos em São Paulo. No atual momento, consórcio e Estado trabalham no diagnóstico das cidades.

Fizemos questão de trazer as experiências do Consórcio em diversas áreas e agora nossa ênfase vai se dar na solução correta para a destinação dos resíduos sólidos urbanos para todos os municípios participantes”, afirmou o prefeito, ao citar o protocolo de intenções firmado com o Estado para a elaboração do Plano Regional e os avanços na coleta seletiva e compartilhamento de ações entre as cidades.

A gente vem fazendo um diálogo técnico político inovador, ao invés de confrontar, estamos unindo a técnica para desenvolver políticas públicas importantes para a região do Alto Tietê”, explicou Lima.

O evento da SIMA teve a participação do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste (Cioeste), Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos (Consimares), Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema (Civap) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Nosso objetivo é conhecer as experiências dos consórcios e arranjos regionais existentes que já desempenham um trabalho com resíduos sólidos para formatar o desenvolvimento futuro da gestão e gerenciamento dos resíduos no Estado de São Paulo”, explicou o coordenador do CIRS, José Valverde.

Ao longo do encontro, os participantes puderam questionar, esclarecer dúvidas, interagir e dar opiniões sobre as apresentações.

Os aterros possuem tempo de vida útil, precisamos somar os esforços com prefeitos, iniciativa privada e sociedade para enfrentar esse desafio. E o caminho passa pelos consórcios regionais”, afirmou o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

Participaram da mesa de abertura do workshop, o coordenador do GT ll, Wagner Cabelho, o diretor-presidente da ABRELPE, Carlos Silva Filho, a coordenadora de saneamento da SIMA, Wilma Gonçalves, o coordenador do grupo Gestor do CIRS, Ivan Mello e a diretora de licenciamento da Cetesb, Zuleica Lisboa.

Desde que a gente começou a discutir o tema resíduos sólidos, mais de vinte anos atrás em São Paulo, assistimos ao panorama da evolução deste assunto que em 1997 mostrava 95% dos aterros em situação inadequada e hoje, de acordo com o último Relatório de Resíduos Sólidos da Cetesb, existem apenas 28 municípios em situação irregular”, concluiu Zuleica.

 

Comentários