Destino dos resíduos da Região é discutido em Fórumpromovido pelo Condemat 

Evento realizado em Guararema destaca importância da coleta seletiva e o desafio dos municípios nas busca das melhores soluções; Estado define ações para o Plano Regional de Resíduos Sólidos

 

Com foco no ciclo do consumo, o CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê promoveu na última segunda-feira (22/04), em Guararema, o 2º Fórum de Resíduos Sólidos do Alto Tietê. O evento reuniu autoridades, técnicos das prefeituras, cooperativas de catadores de recicláveis e moradores das cidades da Região na discussão sobre as múltiplas possibilidades de reaproveitamento do lixo, a importância da coleta seletiva e a parceria do Estado com o Alto Tietê para a melhor alternativa de destinação dos resíduos urbanos.

Na abertura do evento, o prefeito de Guararema, Adriano de Toledo Leite, falou do desafio que a gestão dos resíduos sólidos representa para os municípios e da necessidade de uma solução regional. “O problema do lixo é crescente porque a população aumenta e a cultura de descarte é muito grande.  Além disso, os custos que envolvem a destinação são muito altos e há todo um contexto ambiental que precisa ser considerado no âmbito regional”, disse Leite, que representou o Conselho de Prefeitos do CONDEMAT, ao lado do prefeito Vanderlon Oliveira Gomes, de Salesópolis.

O coordenador da Câmara Técnica de Gestão Ambiental, Daniel Teixeira de Lima, destacou o convite feito ao CONDEMAT para fazer parte do Comitê de Integração de Resíduos Sólidos criado pela Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente para rever o Plano Estadual de Resíduos Sólidos e estruturar o apoio aos municípios.

“O CONDEMAT é o primeiro consórcio convidado a integrar esse Comitê e isso prova a seriedade do trabalho que temos desenvolvido na Região. Hoje vamos aprender, debater e conhecer meios para cuidar melhor da nossa casa, que é o Alto Tietê”, ressaltou Lima.

Nos próximos 30 dias, uma reunião de trabalho com técnicos do Estado e integrantes da Câmara Técnica de Gestão Ambiental do CONDEMAT definirá o cronograma de ações para a elaboração do Plano Regional de Resíduos Sólidos, o qual vai apresentar o diagnóstico dos municípios e apontará a melhor estrutura para a destinação dos resíduos sólidos.

“Será uma reunião para confirmar a prioridade de concepção do Plano. As peculiaridades de cada cidade demonstra um desafio regional, mas também contemplam aspectos que podem ser integrados”, informou José Valverde, assessor estadual de Resíduos Sólidos.

 

PAINÉIS

Ainda durante o 2º Fórum, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer iniciativas bem-sucedidas por prefeituras, empresas e cooperativas no reaproveitamento de resíduos.

Ricardo Moscatelli, assessor municipal de Análise de Sustentabilidade Ambiental, e José Idasil Vitor, vice-presidente da Guararecicla, apresentaram “A Experiência de Guararema na Gestão dos Resíduos Sólidos”. A cidade é a única da Região com aterro próprio em funcionamento.

Contato executivo do Grupo Alto Tietê, Alexandre Dumas falou sobre a destinação do papel, enquanto Ivan Michaltchuck expôs experiências da empresa Meiwa no reaproveitamento do isopor.

Claudecir Alves da Silva apresentou o trabalho da Gerdau na reutilização de sucata na produção de aço. Liziane Eymael, da Veolia, falou sobre os desafios que o Brasil tem no reaproveitamento do plástico; Juliana Schunck, do destino do vidro; e Aline Kiss, da ONG Espaço Urbano, das possibilidades de reuso das embalagens longa vida.

O aspecto social envolvido na questão dos resíduos foi abordado por Roberto Rocha e Dione Manetti, da Ancat – Associação Nacional dos Catadores e Pragma Soluções Sustentáveis. Eles falaram sobre “Coleta Seletiva – Inclusão dos Catadores: Avanços e Desafios”.

A engenheira química Araci Martins Musolino, do Instituto GEA, abordou os aspectos sustentabilidade, consumo e minimização de resíduos, enquanto a artesã Priscilla Baptista, moradora de Guararema, compartilhou suas experiências no “Movimento Lixo Zero: Começando em Casa”.

Fechando a programação, a bióloga Flávia Casali Rossi, do Instituto Itaquareia explorou o tema resíduos orgânicos e comandou uma oficina de confecção de composteira doméstica.

“Esses painéis foram importantes para os municípios conhecerem o que existe hoje no mercado de recicláveis, articular possíveis parcerias e se aproximar das cooperativas de catadores”, concluiu o coordenador da Câmara de Gestão Ambiental do CONDEMAT.

 

Comentários