Alto Tietê terá redução da frota de transporte municipal, anuncia CONDEMAT

Medida adotada pelos prefeitos visa reduzir circulação de pessoas nas ruas para conter o coronavírus; bares, restaurantes e até velórios terão limitação de público. Em cinco dias, número de suspeitos subiu 361%

O Conselho de Prefeitos do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê deliberou na noite de ontem (18/03) pela redução gradativa da frota de transporte municipal. A medida começa a valer a partir da próxima segunda-feira (23/03) nas principais cidades da Região, sendo que em algumas darão início ao processo já nesta quinta-feira, com o objetivo de diminuir o fluxo de pessoas nas ruas para conter o avanço do coronavírus. Em cinco dias, o número de suspeitos com a doença no Alto Tietê subiu 361% e já existem pelo menos seis casos confirmados, nas cidades de Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos e Mogi das Cruzes – dados de ontem.

A redução na circulação dos ônibus municipais vai ser definida por cada cidade, de acordo com a sua necessidade. Em Guarulhos, por exemplo, 30% da frota deixa de circular na segunda-feira. Em Mogi das Cruzes, a cidade adotará, inicialmente a partir de hoje, o horário de férias, com maior intervalo entre as viagens fora dos períodos de pico. Nos municípios atendidos apenas por linhas intermunicipais, como Salesópolis, a decisão cabe ao Estado.

Dependendo da evolução da pandemia, não está descartada a suspensão total do transporte municipal. “Os prefeitos se reuniram e a recomendação acordada, inicialmente, é para redução dos ônibus nas cidades para diminuir o número de pessoas nas ruas. Neste momento, a orientação é para que as pessoas permaneçam nas suas casas”, ressaltou o presidente do CONDEMAT, Marcus Melo.

Em reunião online, os prefeitos também alinharam condutas para a Região em outros segmentos, como o comércio. As feiras noturnas, por exemplo, estão suspensas em todas as cidades, mas as feiras livres – em espaços abertos – estão mantidas para garantir o abastecimento da população. Para os bares e restaurantes, a recomendação é reduzir o horário de funcionamento e limitar o público (inclusive com garantia de distanciamento de 2 metros entre as mesas), dando preferência aos serviços de entrega.

“Não é fácil colocar essas medidas em prática porque existe toda a questão econômica, mas elas são necessárias para resguardar e preservar a saúde da população”, argumentou o presidente do consórcio, que representa 12 cidades.

Os prefeitos também irão recomendar a suspensão dos cultos e missas presenciais, com orientação para transmissão online, o que será acordado com as autoridades da Igreja Católica e Núcleos de Pastores.

As medidas restritivas alcançam também os velórios.  A recomendação é para redução do tempo de duração e limitação do número de pessoas nas salas.

“Cada cidade vai adotar as medidas dentro da sua realidade. No caso dos velórios, algumas estão reduzindo o tempo a 2 horas, enquanto outras a 4 horas, com limite de 10 pessoas nas salas”, explica o presidente Marcus Melo. “No caso das igrejas e templos, eles podem permanecer abertos para quem deseja fazer uma oração neste momento tão difícil, mas a recomendação é para que as missas e cultos sejam suspensos”, concluiu o presidente.

Comentários